fbpx

Perdemos o Rio de Janeiro para a violência

Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Às 6:54 da manhã, recebi a seguinte mensagem enviada pelo jornalista Ricardo Bruno: “Médicos de São Paulo são mortos a tiros em quiosque na Barra da Tijuca”. Os médicos vieram de São Paulo para um congresso de ortopedia. Certamente, o congresso não acontecerá, pelo menos não como previsto. Eram eles bolsonaristas ou lulistas, da esquerda ou da direita? A favor do aborto ou contra ele? Em seguida, Ricardo Bruno enviou uma nova notícia: “um dos médicos era irmão da deputada Sâmia Bonfim, do PSOL-SP”. Que diferença isso faz? O que eles tinham em comum: estavam numa das áreas nobres da Cidade do Rio de Janeiro, antes da uma hora da manhã. Hospedador num dos melhores hotéis da cidade. Entregues à própria sorte, porque não se sabe a escala dos Guardas Municipais, não se sabe por onde anda a polícia, nem se sabe porque eles andam armados, montados num carro, possivelmente, roubado. E, certamente, para as famílias, pacientes e amigos dos médicos, o que menos deve importar nesse momento é saber por qual aeroporto eles chegaram ao Rio, ou ter conhecimento de ser a Segurança Pública caso para o prefeito ou para o governador. Para mim, é suficiente saber que poderia ter sido um filho meu (que é médico também) e ter plena consciência de que a ousadia do crime perdura faz mais tempo do que o tempo de minha vida ou dos médicos que morreram. Depois vem gente me dizer que o problema do Rio é a transferência da Capital, a fusão ou se em 8 de janeiro houve tentativa de golpe ou baderna. Que loucura é viver aqui!

Mais Publicações

Cometário rápido

A DEMOCRACIA E O GOLPE. 

Carnaval de 2024.  O último capítulo do livro “Sexta-feira, 13 – os últimos dias do governo João Goulart”, o autor Abelardo Jurema, Ministro da Justiça

Livros

“Sexta-Feira, 13…”

14 de fevereiro de 2024.  “Passado o episódio do Estado de Sítio, parecia que o Presidente João Goulart iria nortear o seu Governo mais para

Quer aprender mais sobre política?

Conheça nosso curso.