fbpx

Será que pisei no calo do Presidente Temer?

Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

JacksonTemerSerá que pisei no calo do Presidente Temer? Eu ficaria feliz se tivesse visibilidade e importância para tanto. Não tenho.

A dúvida apareceu com as reações agressivas ao comentário que fiz no facebook sobre a palavra do Presidente, quando ele se diz preparado para governar o Brasil, porque sabe lidar com bandidos e promete que, toda vez que cometer algum erro, “consertá-lo-a”.

Mas, eu conheço como são as operações dos políticos na internet, em especial, no facebook, por isso, afirmo: as reações nada têm com a minha importância pessoal. Estão ligadas ao fato de o personagem que representa o presidente nas mídias sociais ter sido “marcado” no post que publiquei.

Existem, atendendo os políticos e campanhas, empresas no segmento da comunicação por internet, que “compram” ou “alugam” páginas de gente que tem número expressivo de leitores. Elas se apropriam do login e senha das páginas e ficam atentas aos comentários a favor e contra os políticos que as contratam. Diante de comentários como o que fiz, as empresas, imediatamente, analisam o perfil do comentarista, para saber se ele tem um número razoável de leitores e ouvintes. Se tiver, eles ativam respostas através das páginas que compraram ou alugaram e sentam o sarrafo, com o propósito de passar para o público em geral a ideia de o político criticado ter um grupo enorme de apoiadores naturais, da própria sociedade e de fora do mundo político.

Quando os posts são de elogio, eles ativam apoios e aplausos. Tudo falso. Por causa dessas empresas, e dos procedimentos delas, a comunicação política na internet está insalubre.

As agressões verbais que recebi me indicaram que o Presidente Temer tem um serviço desse contratado. Então, daqui por diante, não “copiá-lo-ei” quando criticá-lo. Os agressores sumirão, estejam certo.

Por Jackson Vasconcelos

Mais Publicações

Uncategorized

O SANTO É DE BARRO.

Calma com o andor, porque o santo é de barro.  O Prefeito Eduardo Paes convidou o escritor Ruy Castro para uma das reuniões com os

Quer aprender mais sobre política?

Conheça nosso curso.